Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

A VOCAÇÃO DE SAMUEL (Samuel 3,1-10)

Iniciamos nesta semana o mês de agosto no qual celebramos a dimensão vocacional da vida. A leitura do profeta Samuel nos sugere alguns pontos de partida tanto para o discernimento quanto para desmistificação da vocação.

1.  Um jovem: Samuel era um jovem que prestava serviço a Deus ajudando o velho sacerdote Eli, cuja família, no entanto, não era fiel a Deus. Costumamos pensar que os chamados por Deus são pessoas diferenciadas, com atributos que os exaltam com relação aos outros. Mas Deus, que é Aquele que escolhe, é também Aquele que capacita e, portanto, o chamado foge da lógica humana. Samuel sequer conhecia o Senhor (v.7) e Eli viria a ser a ponte para a revelação.

2. Samuel ouve uma voz e  pela proximidade que mantinha com Eli, por três vezes pensa ser ele. Solícito, levanta-se e vai atendê-lo. Talvez não com a mesma prontidão e solicitude, também nós atendemos as vozes do chamado que pensamos ser os apelos dos nossos líderes, nossos coordenadores, nossos padres. Sem entender a profundidade, servimos para garantir a nossa imagem por termos vergonha de negar. Mas por dentro, podemos não sentir a procedência desta voz que é capaz de nos fazer largar tudo para segui-la com coragem. A voz de Deus nos chega por alguém.

3. Alguém que ajuda o discernimento – a experiência de Eli nos dá sinais de alguém cuja maturidade foi fundamental para o discernimento do chamado. Ser próximo de Deus, e viver com pessoas assim, nos ajuda a ter olhos abertos e ouvidos sensíveis aos apelos de Deus em nossa vida. Aqui podemos enxergar a dimensão do discipulado: deixar-se cuidar por alguém, aprender, crescer e depois cuidar dos outros. Samuel precisou que Eli lhe apontasse o Senhor. Quantos vivem ao nosso lado e não conhecem a Deus? Se não apontarmos o caminho de Deus para estes nossos irmãos será que eles distinguirão por si próprios o projeto que o Pai tem para eles?

4. Uma resposta assertiva: Por fim, Eli entende que é a voz de Deus que fala a Samuel, e lhe dá a orientação precisa em relação ao que está acontecendo e que resposta deve dar: “Fala que teu servo escuta”. Quem escuta o Senhor e se deixa usar por ele é um profeta de nossos tempos a iluminar a vida dos que estão indo nos caminhos sombrios. Deus chama a cada um de nós para grandes propósitos. Alguns são chamados ao sacerdócio ordenado, outros à vida consagrada e religiosa, outros à constituição de uma família, outros exercem sua vocação no serviço à comunidade como catequista, leigos, ou como pessoas que não constituem família para cuidar dos pais ou irmãos.

São muitas as vozes do mundo a nos confundir. Mas a verdadeira alegria dos chamados consiste em crer e experimentar que o Senhor é fiel e, com Ele, podemos caminhar, ser discípulos e testemunhas do amor de Deus, abrir o coração a grandes ideais, a coisas grandes. «Nós, cristãos, não somos escolhidos pelo Senhor para coisas pequenas; ide sempre mais além, rumo às coisas grandes. Jogai a vida por grandes ideais!» (Papa Francisco). Há muitas propostas fáceis, imediatas, rápidas e superficiais, mas nenhuma tão profunda e realizadora, quanto ouvir os propósitos daquele que nos conhece por inteiro e ainda assim aposta em nós!

Não há uma vocação que seja mais importante do que a outra. E não há vocação que deva ser abraçada somente para a realização pessoal, porque todo chamado deve ser realizado a serviço dos irmãos. Em quaisquer das vocações às quais somos chamados, uma coisa é certa: temos uma grande missão – a missão de ir e anunciar Jesus e o seu Reino. Daí a dignidade e importância do SIM de cada um ao chamado do Pai. O mundo precisa de pessoas como Eli que apontem  para Jesus e precisa de pessoas como Samuel que respondam com a alma e o coração e confirmem com o compromisso: FALA, SENHOR, QUE  TEU SERVO ESCUTA. Oremos para sermos os profetas de um novo tempo!

PARA REFLETIR:

1. Você está sendo o Eli na vida de alguém? Quem foi o Eli em sua vida?

2. Estando no lugar de Samuel, como você está respondendo ao chamado de Deus?

4. Como está o seu compromisso com Aquele que o chamou e com os irmãos que o Senhor da messe lhe confiou?

voltar