Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal
Um lugar perto do Pai (Mc 16,15-20)

(Partilhemos: o que diz este evangelho)

Queridos irmãos e irmãs,

O tempo pascal nos tem feito reviver os grandes temas da nossa fé: a certeza da ressurreição, a presença de Jesus conosco até o fim dos tempos, a promessa do envio do Espírito Santo que nos faz igreja, e agora a participação na glória de Jesus junto ao Pai.

A festa da ascensão apresenta Jesus na direção contrária ao movimento da encarnação. Se no Natal celebramos a descida do Verbo de Deus que assume a natureza humana, agora Jesus sobe ao Pai e introduz a humanidade no seio da Trindade.

Jesus quando volta ao Pai vai diferente de como veio, pois leva consigo as dores da humanidade. As chagas do Ressuscitado das quais nos falam os evangelhos são as dores da humanidade que ainda sofre, e que Jesus carrega em si. Quando é elevado aos céus, aquilo que Ele assumiu e redimiu vai com Ele, ou seja, a humanidade, com toda sua fragilidade. Isto nos dá a certeza de que Deus não é indiferente à nossa dor, mas que se compadece dela por isso quer continuar perto de nós nos dando forças para superá-la. Aquele que passou pela cruz entende bem sobre o nosso sofrimento.

Duas partidas acontecem neste evangelho:
- Jesus parte ao encontro do PAI. Sobe ao céu e senta-se à direita de Deus. O céu não se trata de um espaço físico, mas significa estar perto de Deus. Fica manifestada a soberania de Jesus, como Senhor da História e do Universo. Não é o afastamento de Cristo, mas uma nova presença no mundo. Ele já vinha dizendo aos seus discípulos “eu vou para o Pai; se eu não for...”

Vimos na semana passada que, quando Jesus nos fala do amor e da obediência a Deus, Ele por primeiro amou e obedeceu. Hoje o evangelho nos fala da ascensão de Jesus, e novamente aqui, ele é o primeiro. Como cabeça deseja levar consigo todo o corpo para estar junto do Pai. Ele nos precedeu no amor e na obediência e vai ao Pai. Aquele que o seguir no amor e na obediência Ele o apresentará ao Pai como um dos seus.

Em Jesus a natureza humana foi elevada até o trono de Deus Pai. Sua ascensão é motivo de esperança para todos nós. Jesus nos prometeu que iria nos preparar um lugar para que estivéssemos onde Ele está (conf. Jo 14, 2-3).

- Os discípulos partem ao encontro do mundo a fim de concretizar a missão que Jesus lhes confiou – pregar o evangelho por toda a parte. Sabem que em sua ação missionária não estão sozinhos, pois o Senhor garantia que os ajudaria e confirmaria sua palavra pelos sinais.

Olhemos este quadro na perspectiva de quem está dentro dele e sintamos a alegria à qual a nossa fé nos remete: se crermos e acolhermos, seremos salvos! Mas olhemos para tantos quantos não adentraram esta realidade, que não receberam a Boa Notícia, ou que tendo ouvido, não a entenderam ou acolheram. Ouçamos então, a voz do Espírito que nos lembra o que disse Jesus: “Vão  pelo mundo  inteiro  e anunciem  a Boa  Notícia  para toda  a humanidade ”.

Coragem! Ao elevarmos nosso olhar e nossa prece aos céus temos a certeza de que lá Jesus se faz presente na glória do Pai, de onde nos envia seu Espírito, que é o protagonista de toda vida da igreja. Contemos com a Trindade Santa e realizemos nossa missão em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

PARA REFLETIR:
1-
Refletir sobre a ascensão de Jesus traz algum sentimento novo  à sua vida de fé?      
      
2-Que impacto este evangelho tem em sua vida ao ouvir que “Quem não acreditar, será condenado”?