Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

OS DOIS TIPOS DE SABEDORIA (Tiago 3.13-18) 

“Quem é sábio e tem entendimento entre vocês?” (v. 13a) – Esta pergunta é dirigida àqueles que desejavam ser liderança na igreja (Tiago 3.1). Para estes a sabedoria deve ser uma qualificação indispensável e não pode ser qualquer tipo de sabedoria, mas a que é “praticada com a humildade”. 
“Que o demonstre por seu bom procedimento, mediante obras praticadas com a humildade que provém da sabedoria.” (v. 13b) – Aquele que alcançou testemunho de ser sábio por ter um “bom procedimento”, não precisa provar mais nada, mas essa sabedoria precisa ser exercida com humildade (debaixo do Senhorio de Cristo) senão se torna arrogância. 

I - A sabedoria terrena
“Contudo, se vocês abrigam no coração inveja amarga e ambição egoísta,” (v.14a) – Tiago define o fruto da sabedoria terrena como sendo “inveja amarga” e “ambição egoísta”. Para os judeus, sabedoria tinha o sentido de um estilo de vida do qual a pessoa tinha a opção de escolher entre a “terrena” e a que “vem do alto”. É por isso que essa “sabedoria” é terrena. Outro fato que deve chamar nossa atenção é que Tiago não está falando para não fiéis. Assim, ele está dizendo que esse “estilo de vida” pode fazer parte da vida daqueles que compõem o corpo de Cristo.  O bom é que temos a opção de rejeitar a sabedoria terrena e é isso que Tiago aconselha: “não se gloriem disso, nem neguem a verdade” (v.14b).

“Esse tipo de "sabedoria" não vem dos céus, mas é terrena; não é espiritual, mas é demoníaca.” (v. 15) – A origem dessa sabedoria não vem de Deus nem é espiritual (fruto do Espírito Santo), mas terrena (humana) e demoníaca (fruto de um espírito maligno).

“Pois onde há inveja e ambição egoísta, aí há confusão e toda espécie de males.” (v. 16) -  O resultado da sabedoria demoníaca é “confusão” (perturbação, desordem, problema, instabilidade, rompimento, alienação e anarquia) e “toda espécie de males”. 
RESUMO: A sabedoria terrena tem como...
Fruto: Inveja amarga e ambição egoísta
Origem:Terrena e demoníaca
Resultado:Confusão e toda espécie de males
 
II - A sabedoria que vem do alto
 “Mas a sabedoria que vem do alto” (v. 17a) – “do alto” era uma expressão comum judaica que significa que vem “de Deus” “é antes de tudo pura; depois, pacífica, amável, compreensiva, cheia de misericórdia e de bons frutos, imparcial e sincera”. (v. 17b) 
PURA: Ausência de impurezas que desagradam a Deus. Algo não contaminado, indicando integridade moral e espiritual. Como é possível viver uma vida tão limpa? Praticando a presença de Deus constantemente, isto é, reservando um tempo diário para estar com Deus em oração, leitura da Bíblia, meditação e aplicação pessoal, vivendo em comunhão com outros irmãos e servindo-os em nome de Jesus.

PACÍFICA: Produz harmonia entre os homens no seu sentido mais elevado. A pessoa dominada por essa sabedoria utilizará isso no seu relacionamento com os outros.

AMÁVEL: Gentil, razoável nos julgamentos, moderado. “A palavra indica uma paciência humilde, uma perseverança que é capaz de submeter-se à injustiça, desgraça, maus tratos sem ódio ou malícia, confiando tudo nas mãos de Deus” (Praticando a palavra de Deus, p. 39).

COMPREENSIVA: É a sabedoria aberta à razão. Também podemos dizer que é aberta a argumentos contrários.

CHEIA DE MISERICÓRDIA: Sempre disposta a tomar a iniciativa de mostrar compaixão (real interesse pelas pessoas menos favorecidas – incluindo as carências emocionais, materiais e espirituais) e oferecer perdão.

BONS FRUTOS: Inclui Boas Obras (ações de misericórdia em favor de alguém) e o Fruto do Espírito. “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei” (Gálatas 5.22,23).

IMPARCIAL: Sem incertezas ou dúvidas. Sem preferências por pessoas em detrimentos de outras. Trata a todos com a mesma justiça.

SINCERA: Não pretender ser o que não é. Dizer só aquilo em que se possa confiar. Sem hipocrisia.

“O fruto da justiça semeia-se na paz para aqueles que promovem a paz”. (v. 18) – Na vida cristã, a justiça não é cultivada para ser acumulada, mas para ser semeada ou cuidadosamente aplicada na comunidade para contribuir para a sua paz e redenção. “Bem-aventurados os pacificadores, pois serão chamados filhos de Deus” (Mateus 5.9). Os pacificadores não somente amam a paz, eles a promove. Não basta querer ou amar a paz. É necessário promovê-la (dar fruto).

PARE REFLETIR:
     Qual sabedoria está dominando sua vida?
     Qual sabedoria você quer que domine sua vida?
     Como pretende buscar essa sabedoria?

Memorize este versículo:
“Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente,
de boa vontade; e lhe será concedida”. Tiago 1.5

Bom estudo!

18/01/10

Voltar