Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

O REINADO DE CRISTO EM NÓS (Ap 1,5-8)

Caros irmãos e irmãs,

Nesta última semana do ano litúrgico celebramos a festa de Cristo Rei, declarando Jesus como o Rei da nossa vida, da história, o rei do universo. Ressaltamos a humildade deste rei-servidor, que não veio para se exaltar ou para ser servido, mas que chegou-nos na humildade e nesta mesma humildade nos serviu e nos revelou a face do Deus verdadeiro, o Deus da misericórdia e do cuidado, o Deus da justiça e da paz, o Deus de amor e de poder.

No entanto, vivemos numa sociedade onde impera o neo-paganismo, onde cresce o esoterismo, o ocultismo, as superstições, etc. Quando o homem não encontra o Deus verdadeiro e não se entrega a Ele, então, fabrica o seu deus, à sua pequena imagem e semelhança; semelhante à pedra, ao cristal, à magia, etc. Este deus é um deus “que lhe obedece” mediante algumas práticas rituais um tanto secretas, misteriosas e mágicas. Ele busca neste deus o conhecimento do futuro ou as revelações do presente, de modo a ser feliz… e a pobre miséria humana multiplica as fantasias e suas falsidades. E onde está o reinado de Cristo?

O HOMEM TEM SEDE DE DEUS!
Ou ele adora e serve ao Deus verdadeiro, “Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis”, como diz o Credo, ou passa a adorar e a servir a deuses falsos, mesmo que conscientemente não se dê conta disso.

Costume normal em nossa sociedade, a superstição, ou acreditar que algum objeto pode mudar a sua sorte, acaba influenciando as nossas vidas de tal modo que viramos escravos dela. Vou sair de casa, primeiro leio o horóscopo. Tenho problemas afetivos, vou a uma cartomante. Preciso me dar bem em alguma coisa, uso trevo de 4 folhas, figa, etc. Na verdade esquecemos de algo fundamental: Honrar a DEUS sobre todas as coisas e crer que Ele é o Senhor.

Imperceptível em alguns momentos, a superstição praticamente está enraizada em nossa sociedade. Às vezes nos vemos fazendo simpatias, lendo horóscopo para uma vida melhor, para conquistar alguém ou ganhar mais dinheiro. Mas a verdade é que nada disso deve ser o fio condutor de nossa vida. Nas livrarias proliferam todo tipo de livros sobre cultos idolátricos, supersticiosos e ocultos, muito bem explorados por alguns escritores e editoras. Lamentavelmente, muitos cristãos (e até católicos!), por ignorância religiosa na sua maioria, acabam também seguindo esses caminhos tortuosos e perigosos para a própria vida espiritual. A doutrina cristã sempre condenou todas essas práticas religiosas. O livro do Deuteronômio relata a Lei de Deus dada ao povo: “Que em teu meio não se encontre alguém que se dê à adivinhação, à astrologia, ao agouro, ao feiticismo, à magia, ao espiritismo ou à evocação dos mortos, porque o Senhor teu Deus abomina aqueles que se dão a essas práticas” (Dt 18,10-12).

NÃO CONTRARIAR A PRÓPRIA FÉ
Muitos católicos, quando não conseguem por suas orações as graças e favores que pedem a Deus, especialmente nos momentos difíceis da vida, perigosamente vão atrás dessas práticas supersticiosas.  Toda busca de poder, de realização, de conhecimento do futuro, etc., fora de Deus, é grave ofensa ao Senhor por revelar desconfiança nEle.

É comum termos em casa objetos de outras religiões como o hinduísmo ou budismo, cristais, elefantes, etc. Talvez por ingenuidade aceitamos todo tipo de conselhos de como obter o que desejamos, seja dinheiro, saúde, trabalho, através de simpatias onde, ao fazer algo eu obtenho a recompensa que tanto desejo. Nosso Deus não é um Deus de escambo, onde troca graças e bênçãos na hora que bem entendo. Ferradura, bater três vezes na madeira, colocar vassoura atrás da porta, comer lentilhas no fim de ano, usar branco na passagem de ano, usar sal grosso para espantar o azar, fitinha do Senhor do Bonfim ou Nossa Senhora Aparecida... enfim ... será que usamos tudo isso porque ainda não cremos verdadeiramente que Cristo é rei e que não devemos dividir seu reinado com mais ninguém?

Irmãos amados! Estamos no ano da fé. Ore todos os dias “CREIO, SENHOR, MAS AUMENTA A MINHA FÉ! Estabeleça como uma meta para a sua vida trabalhar para que o Reino de Deus cresça e se desenvolva sempre mais. Que Jesus Cristo reine no coração dos homens, nas casas, nas comunidades e nas cidades.

PARA REFLETIR:

O que significa para você declarar Cristo como Rei?

Você entende a necessidade de eliminar da sua casa os símbolos que não são cristãos?

Neste ano que passou, a sua fé cresceu em qualidade?

 

Voltar