Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

JESUS: NOSSO ADVOGADO MAIOR JUNTO AO PAI  (1 João 2,1-5a)

Irmãos e irmãs no Senhor ressuscitado!

Entramos na terceira semana da Páscoa. Já meditamos sobre o testemunho dos primeiros cristãos e das primeiras comunidades.
Hoje vamos nos deter nas palavras da primeira carta de São João que são um forte convite à comunidade para que “caminhe na luz”: “Se caminhamos na luz, então estamos em comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus nos purifica de todo pecado” (1 João 1,7).
O texto de hoje trata primeiramente da situação do pecado (caminhar nas trevas). Quando pecamos, transgredimos a Lei de Deus, e somos culpados. Mas contra esse pecado há defesa. Se o pecado entrou no mundo pelo homem (Rm 5,12), também pelo homem Jesus, fomos libertados. João tem uma grande delicadeza no trato com as pessoas. Inúmeras vezes chama os irmãos de “filhinhos”. Assim ele ganha a estima das pessoas e tem autoridade para exortá-las a não pecar.

  1. O PECADO : A MAIOR DE TODAS AS CAUSAS

No mundo, quanto mais problemas surgem entre as pessoas, mais aumenta o número de advogados. Entre estes se destacam os mais competentes nas mais diversas áreas do direito e alguns chegam à fama pela grande habilidade com que defendem seus clientes.
João diz que pelos pecados do mundo inteiro há um advogado defensor junto do Pai. Trata-se de uma causa que se relaciona com o céu e com vida eterna.
João questiona a comunidade sobre o seu relacionamento com o Senhor. Questiona as incoerências entre o que professamos com os lábios e o que vivemos de fato em fidelidade a Cristo. Mas para a maior de todas as causas (pecado), temos o maior de todos os advogados: Jesus ressuscitado. Ele age em favor de nossa salvação continuamente diante do Pai, com base no fato de que na cruz ele assumiu todos os nossos pecados (1 João 2,2). Essa verdade deve nos lembrar o quanto Deus nos ama. O Senhor entregou sua vida por nós, para nos fazer pessoas, não apenas melhores do que éramos antes de conhecê-lo, mas pessoas completamente diferentes em todos os aspectos. Essa é obra de Cristo na alma humana, a transformação do ser humano, de um ser perdido em um ser eternamente salvo por sua graça, para viver em sua presença em amor para sempre...

  2. UMA CONDIÇÃO: Fazer a vontade de Deus, guardar a sua Palavra, caminhar como Jesus caminhou (v. 6)

O reconhecimento da situação de pecado é o primeiro passo para receber a ajuda do Senhor. É confessando os próprios pecados que declaramos ao mundo a nossa fé no poder restaurador de Jesus.
O segundo passo é o conhecimento de Deus. É perguntar-se: o que Deus deseja para mim? Qual é a vontade de Deus a meu respeito?
Na escuta orante da Palavra vamos com certeza escutar: “Eu dou a vocês um mandamento novo: amem-se uns aos outros. Assim como eu amei vocês, vocês devem se amar uns aos outros. Se vocês tiverem amor uns para com os outros, todos reconhecerão que vocês são meus discípulos”. (João 13, 34-35).
E é a prática do mandamento do amor que faz as pessoas e os grupos sociais saírem do próprio egoísmo e do isolamento, que gera a morte, para viverem relações fraternas que geram a vida.

  CONCLUSÃO:

Só Jesus, o maior de todos os advogados, pode resolver a maior de todas as causas. E Ele faz isso gratuitamente, porque é sustentado pelo amor do Pai, e quando estamos nele e guardamos os seus mandamentos e sua Palavra, sempre temos ganho de causa.
De nossa parte esforcemo-nos para caminhar sempre na luz, para caminhar como Jesus caminhou. E diante das nossas misérias lembremos sempre: Jesus nos defende e nos envia novamente como homens e mulheres reconstruídos. Continue realizando a sua Páscoa.

  PARA REFLETIR:

1. Com que grau de humildade você tem reconhecido seus pecados por palavras, atos e omissões?

2. De que forma você tem sentido a presença defensora de Jesus em sua vida?

3. Você tem estabelecido algum propósito de vida para agradecer a Jesus pela salvação e para caminhar como ele caminhou? Em que sentido a célula pode ajudar a manter acessa a luz da Páscoa?



Voltar