Estudo Semanal
Home - Vida Cristã - Consciência Cristã

Há lugar para Deus no mundo? (Jo 14,8-12)

Caros irmãos e irmãs,

Nesta semana queremos refletir sobre o lugar, o espaço, o tempo, o interesse, o valor, que este mundo dá a Deus; de modo particular, sobre que lugar dão os próprios crentes a Deus...

Olhando para a nossa sociedade, muitas vezes temos a sensação de que não há lugar para Deus: a maioria das pessoas parece viver como se não precisasse de Deus para nada; o número de pessoas que vai a missa parece cair; muitos dos que se dizem católicos aceitam com naturalidade o aborto, os casamentos homossexuais; a corrupção parece ser vista como sinal de inteligência e a honestidade como burrice pura. No teatro, no cinema, nas televisões, nos livros e revistas, a maior parte das vezes as coisas da religião parecem servir apenas para fazer humor fácil ou provocar escândalos, isto sem contar na perversão dos valores que são cultivados em tantos programas que são assistidos livremente por toda a família. E por aí afora...

Assim, Deus parece não ter lugar no nosso mundo porque não damos espaço para Ele. Até muitas das pessoas que acreditam na sua existência pensam e agem como se Ele realmente não tivesse lugar.

O LUGAR DE DEUS

Antes de atribuirmos um lugar a Deus, devemos saber que lugar é que o próprio Deus gostaria de ter no mundo. Mas como nós nunca vimos nem ouvimos Deus, como vamos saber o que é que Ele pensa ou quer? S. João nos responde dizendo que saberemos sobre Deus ouvindo e vendo Jesus, que foi a única pessoa que nos deu a conhecer Deus.

O Catecismo nos ensina que “para o cristão, crer em Deus é crer inseparavelmente n’Aquele que Deus enviou – no seu Filho muito amado, em quem Ele pôs todas as suas complacências: Deus mandou-nos que O escutássemos. O próprio Senhor disse aos seus discípulos: “Acreditais em Deus, acreditai também em Mim” (Jo 14,1). Podemos crer em Jesus Cristo porque Ele próprio é Deus, o Verbo feito carne: “A Deus, nunca ninguém O viu. O Filho Unigênito, que está no seio do Pai, é que O deu a conhecer” (Jo 1,18). Porque “viu o Pai” (Jo 6,46), ele é o único que O conhece e O pode revelar”

De fato, a fé cristã não é uma “doutrina”, mas um encontro pessoal e comunitário com Jesus de Nazaré (que, depois, nós, Igreja, estruturamos num corpo doutrinal).

O LUGAR DE PAI

Ora, quando procuramos a resposta em Jesus, percebemos que o lugar que Deus quer ter no mundo é... como Pai. Como Pai apaixonado pela humanidade!

Deus sente-se bem no mundo quando seus filhos vivem como irmãos, quando os filhos tem entre si relações fraternas de verdade, de justiça, de solidariedade, de amor profundo, de perdão, de paz, de caridade..., reconhecendo-se como “filhos de Deus”, criados e “vivificados” por Deus. Nossas células são ocasião de nos ensinar a viver assim cada dia mais.

Só que o mundo matou Jesus. Definitivamente, parece que não há espaço para Deus neste mundo. Mas Jesus (o recusado) vira as coisas: o importante não é o “lugar”, mas o “modo” como Deus quer estar no mundo: como grão de trigo que morre para dar fruto; e quer que aqueles que dizem acreditar n’Ele sejam assim também:  grão de trigo que morre todos os dias para dar a vida aos irmãos.

PARA REFLETIR:

1-Na sua opinião, neste mundo aparentemente tão descrente, há lugar para Deus? Onde?

2-As nossas atividades “religiosas” expressam verdadeiramente  essa família que Deus quer formar conosco? Somos capazes de “morrer” um pouco para dar vida aos irmãos?

3-O que você pretende fazer para viver mais intensamente este Ano da Fé?