Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

Convidar Jesus para a festa (Jo 2,1-11)

(O que o texto diz para você hoje?)

Queridos irmãs e irmãs,

Que alegria há em nosso coração pelo nosso reencontro depois das semanas de recesso! Que bom saber que os nossos encontros nas casas recomeçam e de novo podemos estar com nossa família de fé. Recomeçamos nosso caminhar que jamais deixa de ser missionário quando entendemos que a qualquer tempo e em qualquer lugar nossa vida é espaço de ação de Deus na missão de anunciar o Evangelho da paz.

Talvez possamos olhar o Evangelho que refletimos hoje, bastante conhecido nosso, com uma chave diferente daquela costumeira e tirar para nós um ensinamento que traga um bom ânimo para este reinício!

Jesus havia sido convidado junto com seus discípulos para a festa de um casamento, que segundo o costume da época, durava oito dias. Depois de alguns dias começou a faltar o vinho e com isso a serenidade e alegria daqueles esposos e das suas famílias estavam ameaçadas. Se faltasse o vinho, não haveria outra coisa a ser feita senão despedir os convidados, pois nada mais haveria a ser oferecido.

Acontece em nossas vidas coisa semelhante ao que aconteceu nas núpcias de Caná. Muitas vezes aquilo que começamos com alegria e entusiasmo começa a se consumir pela falta de alegria e de algo que continue alimentando a festa. Isso acontece com os sentimentos, com as relações, com as tarefas que executamos: todo sentimento humano tende a se consumir e a se exaurir, aí vamos deixando o hábito tomar conta das situações, as coisas vão se tornando monótonas e a tristeza vai tomando conta dos nossos dias. As talhas ficam vazias, nenhum vinho é encontrado em nós.

Haverá um remédio para essa tristeza? Certamente que sim! O mesmo remédio que houve em Caná: convidar Jesus para a festa! Se Ele for de casa, a Ele se poderá recorrer quando enfraquecerem o nosso entusiasmo e a novidade, quando a situação parecer de difícil solução, quando a “rotina” estiver se estabelecendo como uma sombra de dúvida.

Nesta perspectiva podemos pensar também na vida da nossa célula. Se, da mesma forma que nas outras relações pessoais ou de trabalho, ela estiver se deixando minar pela tristeza ou pela falta de vinho que mantenha a sua alegria, é tempo de convidarmos Jesus para participar conosco desta festa. Ele que em Caná estava com seus discípulos não deixaria de estar conosco também quando O convidamos a fazer parte da nossa vida e das coisas que são importantes para nós.

Convidar Jesus para estar conosco é estarmos dispostos a fazer aquilo que Ele nos mandar, mesmo quando pareça insensato encher as talhas de água enquanto o que nos falta é o vinho... É colocarmo-nos na posição dos discípulos obedientes que reconhecendo a presença de Jesus, sabem, como Maria, ter um olhar de esperança mesmo quando a festa parece se perder.

Maria estabelece a esperança como padrão de comportamento. Talvez pudéssemos olhar a realidade com o mesmo olhar dela. Ela não se atreve a negar a realidade, mas sabe que esta situação não é definitiva. Em Maria se antecipa a esperança, porque ela sabe que Jesus está presente e que a sua ação virá como o vinho melhor para reanimar toda a festa!

PARA REFLETIR:

1- Qual o vinho novo que vamos pedir hoje a Jesus para a vida da nossa célula neste ano?

2- Qual atitude nossa seria um ponto de partida para que Jesus realizasse uma transformação na nossa célula?