Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

A QUEM EU TE ENVIAR, IRÁS (Jr 1,4-8)

Queridos irmãos e irmãs,

Depois de termos refletido sobre a nossa pertença à Deus e, portanto, ao projeto de construção do Seu Reino, hoje vamos pensar na dimensão missionária que este mês nos oferece.

Nenhum cristão pode abrir mão de ser missionário, uma vez que esta realidade é própria do nosso Batismo. Podemos atuar missionariamente de maneiras diferentes, mas todos acolhem o mesmo mandato de Jesus Cristo: “Ide e faze discípulos entre todas as nações” (Mt 28,19)

Por muito tempo se entendia que ser missionário era partir para uma terra distante e ali servir o Evangelho. Felizmente hoje já se entende com maior clareza que a missão também pode e deve ser realizada no próprio lugar onde se vive, testemunhando ao mundo a gratuidade do serviço em favor dos mais desfavorecidos, sofredores e esquecidos de nossa realidade.

PARTILHANDO O TESOURO

O Papa Francisco, em sua mensagem para o Mês Missionário, nos advertiu sobre a  necessidade de sair das estruturas paroquiais e manifestar a nossa vocação missionária, particularmente contando com o entusiasmo dos jovens em idade e dos jovens de espírito, levando a Boa Nova de Jesus aos que vivem indiferentes à nossa fé,  este grande tesouro que não podemos guardar somente para nós: "Além disso, em áreas sempre mais amplas das regiões tradicionalmente cristãs, cresce o número daqueles que vivem alheios à fé, indiferentes à dimensão religiosa ou animados por outras crenças. Não raro, alguns batizados fazem opções de vida que os afastam da fé, tornando-os assim carentes de uma 'nova evangelização'. A tudo isso se junta o fato de que larga parte da humanidade ainda não foi atingida pela Boa Nova de Jesus Cristo.

Ademais, vivemos num momento de crise que atinge vários setores da existência, mas também os do sentido profundo da vida e dos valores fundamentais que a animam. A própria convivência humana está marcada por tensões e conflitos, que provocam insegurança e dificultam o caminho para uma paz estável".

O Papa Francisco nos pede uma adaptação missionária: "Nesta complexa situação, onde o horizonte do presente e do futuro parecem atravessados por nuvens ameaçadoras, torna-se ainda mais urgente levar corajosamente a todas as realidades o Evangelho de Cristo, que é anúncio de esperança, de reconciliação, de comunhão, anúncio da proximidade de Deus, da sua misericórdia, da sua salvação, anúncio de que a força do amor de Deus é capaz de vencer as trevas do mal e guiar pelo caminho do bem”.

SÓ O ENCONTRO COM CRISTO É LUZ SEGURA

Com o nosso testemunho de amor, levemos a este mundo a esperança que nos dá a fé! A Igreja é uma comunidade de pessoas (cada um de nós e todos nós juntos), animadas pela ação do Espírito Santo, que viveram e vivem a maravilha do encontro com Jesus Cristo e desejam partilhar esta experiência de profunda alegria, partilhar a Mensagem de salvação que o Senhor nos trouxe. É justamente o Espírito Santo que guia a Igreja neste caminho".

Jesus envia a nós, (não somente aos padres, religiosos e alguns poucos leigos escolhidos), como discipúlos-missionários para todos os povos, nações, línguas e realidades. Que sejam despertadas em nossos corações nossa consciência
missionária e a nossa vocação de informar, promover, animar a Igreja para que seja discípula e verdadeiramente missionária.

PARA REFLETIR:

1- Olhando para si mesmo e para o seu jeito de ser missionário, você pode dizer que a Igreja é missionária?
2- Qual é a sua maior dificuldade para ir ao encontro daqueles a quem Jesus te envia?
3- Quais são os elementos que te sustentam como discípulo missionário de Jesus?

voltar