Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

FÉ E CONVERSÃO -  Lc 19,1-10

(Comecem por refletir sobre o que o texto diz para vocês)

Queridos irmãos e irmãs,

Vamos trazer à memória o inicio da quaresma, quando na 4ª feira recebemos a imposição das cinzas e ouvimos o forte apelo para este tempo: “Convertei-vos e crede no evangelho”

Conversão é consequência da fé. A fé é um dom de Deus, mas deve caminhar junto com o acolhimento humano. Conversão é decisão para a vida toda. Conversão quer dizer: mudança de coração. Não é somente uma vida de fidelidade aos preceitos e mandamentos do Senhor.

Trata-se de convertermos de servos de Deus em amigos seus: de passar de justos a filhos, de não fazer o mal a ninguém para deixar Deus fazer o que Ele quer em nossa vida. Não é suficiente dizer que queremos conquistar a vida nova trazida por Jesus. É necessário renunciar às coisas que nos levam ao pecado. É a mudança do nosso referencial de vida, tendo por base a pessoa de Jesus Cristo. Crer no evangelho vai muito além de acreditar em Jesus, mas é tomar para si o Seu projeto de vida. Crer na sua glória, mas saber aceitar a sua cruz.

Poderíamos de uma forma simplificada falar sobre os passos para a conversão:
1-RENUNCIAR
A verdadeira e total dependência de Deus nos obriga a renunciar a tudo aquilo que nos prende ao pecado, decidindo-nos formalmente a nunca mais voltar a ele. Temos percebido as nossas omissões e indiferenças diante do irmão no qual deveríamos ver Jesus... Temos que renunciar a esta indiferença, a esta falta de socorro, ao julgamento, à falta de perdão.  Também com relação a tantos “substitutos de Deus”, aos quais podemos nos apegar, sobretudo quando queremos de Deus respostas que tardam a ser dadas como queremos. Exemplo disso são superstições, práticas espíritas, adivinhações, amuletos, esoterismo e tanta coisa a que cultuamos como falsos deuses. Também outros apegos e excessos que cometemos devem ser renunciados... 

2- ARREPENDER-SE
O arrependimento é uma atitude de não pecar mais, ou seja, um propósito de não voltar a cometer o mesmo ato, que o leva a distanciar de Deus. É a dor e a tristeza de se ter caminhado por caminhos diferentes daqueles que nos conduzem ao Pai.

3- BUSCAR A RECONCILIAÇÃO
Reconciliação não é outra coisa, senão buscar a misericórdia do Pai. É reconhecer nosso pecado, perante Deus. É recorrer ao sacerdote para receber a expressão de ratificação do perdão de Deus pela absolvição no sacramento de reconciliação ou de penitência, para que, banhados pelo perdão nos proponhamos a viver na graça de Deus.

Jesus não nos força a nenhuma obrigação. Ele quer apenas que lhe abramos a porta. Ele está chamando e só entrará se nós abrirmos voluntariamente essa porta. Tiremos do coração as coisas que ocupam o lugar sagrado que pertence a Deus. Um coração esvaziado, purificado pela confissão será um grande receptáculo da graça de Deus.

No próximo dia 17 de março, 3ª feira, teremos na paróquia esta oportunidade no mutirão para as confissões. Coloque-se em oração, reflita no amor do Pai e deseje ser abraçado com a sua misericórdia. Este encontro de amor certamente marcará sua quaresma com uma paz abundante.

PARA REFLETIR: