Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

FÉ – Dom de Deus e atitude humana (2Tm 3,14-17)

Caros irmãos e irmãs,
Inseridos no “Ano da fé”, vamos viver este tempo como um “abrir as portas” para a dimensão do crer    Acreditar é, antes de mais nada, uma atitude caracteristicamente humana. Em nada contradiz a liberdade e a inteligência do homem, levando-nos à confiança em Deus e à adesão às verdades por Ele reveladas.

A fé é companheira de vida, que permite perceber, com um olhar sempre novo, as maravilhas que Deus realiza por nós. A fé é um ato pessoal e ao mesmo tempo comunitário: é um dom de Deus que deve ser vivenciado na grande comunhão da Igreja e deve ser comunicado ao mundo.

O olhar da fé nos fará enxergar o que Deus fez, está fazendo e fará por nós. Nossa tarefa principal é viver em correspondência obediente à ação de Deus revelada em Jesus. Nossa parte na ação é o ato de fé.

Mantendo o olhar fixo sobre Jesus Cristo, morto e ressuscitado para a nossa salvação, autor e consumador da fé (Hb 12, 2),  encontraremos a força e a luz que hão de fazer crescer a nossa fé, como podemos ver testemunhado nos exemplos de fé que marcaram estes dois mil anos da nossa história de salvação.

Sustentados pela fé
Pela fé, Maria acolheu a palavra do Anjo e acreditou no anúncio de que seria Mãe de Deus na obediência da sua dedicação. Ao visitar Isabel, elevou o seu cântico de louvor ao Altíssimo pelas maravilhas que realizava em quantos a Ele se confiavam. Confiando em José, levou Jesus para o Egito a fim de salvá-lo da perseguição de Herodes. Com a mesma fé, seguiu o Senhor na sua pregação e permaneceu a seu lado mesmo no Gólgota. Com fé, Maria saboreou os frutos da ressurreição de Jesus e, conservando no coração a memória de tudo, transmitiu-a aos Doze reunidos com ela no Cenáculo para receberem o Espírito Santo.

Pela fé, os Apóstolos deixaram tudo para seguir o Mestre. Acreditaram nas palavras com que Ele anunciava o Reino de Deus presente e realizado na sua Pessoa. Viveram em comunhão de vida com Jesus, que os instruía com a sua doutrina, deixando-lhes uma nova regra de vida pela qual haveriam de ser reconhecidos como seus discípulos depois da morte d’Ele. Pela fé, foram pelo mundo inteiro, obedecendo ao mandato de levar o Evangelho a toda a criatura e, sem temor algum, anunciaram a todos a alegria da ressurreição, de que foram fiéis testemunhas.

Pela fé, os discípulos formaram a primeira comunidade reunida à volta do ensino dos Apóstolos, na oração, na celebração da Eucaristia, pondo em comum aquilo que possuíam para acudir às necessidades dos irmãos.
Pela fé, os mártires deram a sua vida para testemunhar a verdade do Evangelho que os transformara, tornando-os capazes de chegar até ao dom maior do amor com o perdão dos seus próprios perseguidores.
Pela fé, homens e mulheres consagraram a sua vida a Cristo, deixando tudo para viver em simplicidade evangélica a obediência, a pobreza e a castidade, sinais concretos de quem aguarda o Senhor. Pela fé, muitos cristãos se fizeram promotores de uma ação em prol da justiça, para tornar palpável a palavra do Senhor, que veio anunciar a libertação da opressão e um ano de graça para todos.

Pela fé, no decurso dos séculos, homens e mulheres de todas as idades, cujo nome está escrito no Livro da vida, confessaram a beleza de seguir o Senhor Jesus nos lugares onde eram chamados a dar testemunho do seu ser cristão: na família, na profissão, na vida pública, no exercício dos carismas e ministérios a que foram chamados.

Uma fé convicta
Pela fé, vivemos também nós, reconhecendo o Senhor Jesus, vivo e presente na nossa vida e na história. A fé não é dúvida, não é opinião: "eu acho isso", mas é certeza. O crente não pode ter uma adesão oscilante e tímida, mas a convicção profunda de quem está com a verdade. Nossa fé não se baseia em opiniões, mas na Palavra de Deus que é a Verdade Suprema. Já no final da sua vida, o apóstolo Paulo pede ao discípulo Timóteo que «procure a fé» (cf. 2 Tm 2, 22) com a mesma constância de quando era novo (cf. 2 Tm 3, 15). Sintamos este convite dirigido também a cada um de nós.

PARA REFLETIR:

1.Partilhe com os irmãos algo que o Deus tem feito ou está fazendo em sua vida.
2.Qual a sua atitude quando sente que a sua fé está abalada: afastamento ou decisão mais firme de busca na oração e na Palavra?
3.Como Maria, os apóstolos, os mártires e tantos outros, o que a sua fé tem te levado a realizar de concreto para os irmãos e a comunidade?

 

Voltar