Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

Evangelização Oikós: Uma missão permanente (At 16,25-34)
(o que o texto diz para nós?)

Queridos irmãos e irmãs, em outubro a nossa Igreja dedica especial atenção às missões. Desde o envio missionário de nosso Senhor Jesus Cristo a seus discípulos: “Vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores... (Mt 28,19-20) até nossos dias, há muito o que fazer, considerando que nesta terra existem mais de sete bilhões de seres humanos e pouco mais de dois bilhões de cristãos. Uma grande desproporção!

Mas nem precisamos considerar os não-cristãos como alvos de missão. Aqui mesmo bem perto de nós, do nosso lado, em nosso trabalho e até em nossa família vemos muita gente necessitada da pessoa de Jesus e da Palavra de Deus. Podemos dizer, então, que vivemos em “terra de missão”. Mesmo todos professando uma fé crista-católica, esta necessidade se tornou tão urgente que levou nossa Igreja, por meio de seus bispos da América Latina e do Caribe reunidos em Aparecida em 2007, a conclamar “UMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO”. O Papa Francisco avança e chama até nossa pastoral à conversão para este estado permanente de missão (EG 25) e aqui no Brasil, a CNBB reafirma esta necessidade de se ser missionário diariamente (DGAE 2).

Na vivência em células este termo “missão permanente” é uma prática normal e se chama EVANGELIZAÇÃO OIKÓS.  Quem vive em células sabe que a evangelização Oikós é a “estratégia”, o meio e a forma de evangelização usada por todos os membros que querem ver sua célula crescer e se multiplicar, mas para muito além disso, que querem levar o nome de Jesus a todo lugar.

A palavra Oikós, como sabemos, tem sua origem do grego e significa “casa”, “família”, “todos os ambientes de uma casa”.  Mas ao logo do tempo sua compreensão foi ampliada para parentes, amigos, vizinhos, colegas de trabalho, ficando assim a compreensão de Oikós para todos aqueles que fazem parte de nosso relacionamento diário. O Papa Francisco nos convida e reforça esta nossa estratégia de evangelização em sua carta apostólica Evangelii Gaudium: “Há uma forma de evangelização que nos compete a todos, cada um levar o evangelho com quem se encontra, tanto aos mais íntimos como aos mais desconhecidos. É a pregação informal que se pode realizar durante uma conversa e isso sucede espontaneamente em qualquer lugar: na rua, na praça, no trabalho, num caminho” (EG 127).

É importante então, cada membro de célula fazer uma lista, traçar um plano de ação (estratégia) para desenvolver a sua evangelização Oikós e responder:

1)  Já falei de Jesus e convidei para a célula minha família e parentes? Irmãos (as), tios, tias, primos (as), cunhados (as), sobrinhos (as) ?
2) Já falei de Jesus e convidei para minha célula meus vizinhos (as) de rua ou do meu prédio?
3) Já falei de Jesus e convidei para minha célula meus colegas de trabalho?
4) Já falei de Jesus e convidei para minha célula meus colegas de faculdade e colégio?
5) Já falei de Jesus e convidei para minha célula quando estou em alguma fila de banco, de sala de espera em médicos, ponto de ônibus...?

Aproveitemos então este mês missionário para RENOVAR EM NÓS O HÁBITO da evangelização Oikós, recordando que “ser discípulo e missionário de Jesus Cristo” é parte importantíssima de nossa visão celular: “Em cada casa, uma célula que cresce e se multiplica, cada membro um discípulo e missionário de Jesus Cristo”.

Para refletir:

1) Qual a lição da leitura de hoje do livro de Atos?

2) O que significa estar em estado permanente de missão?

3) Tenho praticado a evangelização Oikós?