Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

Depois da ressurreição (Jo 20, 1-9)

Queridos irmãos e irmãs,

Tendo vivido este tempo forte da Igreja, sobretudo na Semana Santa, com todas suas comemorações, tradições, rituais, encenações, é tempo de nos perguntarmos: realmente vivemos uma verdadeira Páscoa neste Domingo e pretendemos vivê-la nesta segunda, terça, quarta, enfim…?

A Páscoa tem um significado vivo, que deve ser vivido todos os dias por cada um de nós, e por isso não podemos deixar que logo no final do domingo (ou antes), a Páscoa já terá terminado. Sim, a Páscoa terá sido mais um feriado prolongado, mais uma participação em uma encenação, mais uma tradição, se não nos decidirmos por viver a vida do Ressuscitado.

O que ficou da Páscoa na nossa vida? Não podemos nos acostumar que na segunda-feira estejamos nas ruas, tocando nossa vida, sem uma gota de compromisso com Cristo, sem qualquer mudança, sem qualquer indício de que a Páscoa nos marcou pelo resto de nossos dias, sem sinais de que o que refletimos na Campanha da Fraternidade ficou perdido num tempo encerrado.

O sacrifício de Cristo foi perfeito e suficiente. Não desperdicemos essa bênção de Deus, vivendo-a de forma mecânica, descompromissada e hipócrita. Pelo contrário, que a vivamos de todo o coração, com toda força, com todo entendimento, empenho e entusiasmo. Estas são as atitudes que Deus espera que a Sua Páscoa provoque em nós dia após dia.

A fé dos cristãos é a ressurreição de Cristo. Que Ele tenha morrido, todos admitem, também os pagãos, também seus inimigos. Que Ele tenha ressuscitado só os cristãos acreditam, e sem admitir essa verdade, não se é cristão.

Se queremos que esta solenidade marque de fato um progresso em nossa fé e não fique só nos aleluias, devemos aprofundar esta mensagem de Páscoa. Por que a Ressureição de Cristo é a prova irrefutável da nossa fé? O que é, na verdade, a ressurreição de Cristo?

A ressurreição é o testemunho de Deus sobre Jesus Cristo. Poderíamos dizer que é a assinatura de Deus legitimando toda a vida de Jesus, garantindo sua verdade. Somente a ressurreição efetivamente é um testemunho seguro da verdade de Cristo, da verdade de sua pessoa e de sua missão. A ressurreição é, portanto, o selo da autenticidade divina de Cristo e da verdade da sua causa.

A ressurreição de Cristo nos prova concretamente que o Jesus histórico que passou pela humanidade fazendo o bem e curando todos os males, teve sua vida e missão validadas pelo Pai e, com isso, é validada toda sua pregação, suas promessas e a missão para a qual enviou cada um de nós.

Nossa exclamação de Aleluia vem da certeza de que o Crucificado é o Ressuscitado, que está agora vivo pelos séculos dos séculos, sentado à direita do Pai, presente no mundo com seu Espírito, mas também com seu corpo, graças à Eucaristia que celebramos.

Por isso não podemos deixar que passada a festa a alegria se apague. Que à luz da ressurreição, como discípulos, compreendamos as palavras e gestos de Jesus em sua vida terrena e tenhamos neles um modelo de vida autenticado e reconhecido pelo Pai.

PARA REFLETIR: O que você propõe cuidar melhor para que sua vida cristã possa refletir aquilo que o evangelho de hoje e a nossa reflexão nos trouxeram como novas luzes?