Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

Cuidar do rebanho do Senhor (Jo 10, 11-18)

(Partilhemos o que este evangelho diz para cada um de nós)

Queridos irmãos e irmãs,

A figura do Bom Pastor apresentada neste Evangelho nos parece bastante familiar quando entendemos que Jesus é este pastor apresentado como o "Bom". No Antigo Testamento, a imagem do pastor aparece com frequência nos grandes personagens que foram pastores (Abel, Moisés, Davi…). Em países áridos, a sua presença era vital para a ovelha sobreviver. O pastor passava o dia todo com ela e estabelecia profunda identidade com ela. 

O próprio Deus se compara a um Pastor, que guia, defende e alimenta o seu povo (Sl 80). Mas quase todos os Reis de Israel foram "Maus pastores", que conduziram o Povo por caminhos de morte e desgraça. Por isso, em Ez 34,15, o Senhor, que ama e quer o cuidado dos seus, promete: "Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas". A imagem do Bom Pastor é uma catequese sobre a pessoa e a missão de Jesus: conduzir o homem às pastagens verdejantes e às fontes cristalinas, de onde brota a vida em plenitude.

Jesus é um pastor é diferente dos outros, por duas razões:

- Porque está disposto a DAR A VIDA pelas ovelhas que ama. É tão forte esta afirmação que ela aparece neste trecho 4 vezes!  O mercenário no perigo abandona as ovelhas e foge…

- Porque CONHECE suas ovelhas e é conhecido por ela. Ele as chama pelo nome e elas o seguem.    "Conhecer" é mais que um ato intelectual, é comunhão de vida. É fruto do convívio e do diálogo, e gera o amor. Não falamos disso também nas nossas células, da importância de conhecer e servir o irmão?

Quem são as ovelhas desse rebanho? São os que seguem a voz do Pastor. Mas não só eles, os que participam da Igreja de modo organizado. Jesus tem um olhar ampliado e quer nos ensinar algo além: "Tenho ainda outras ovelhas que não são desse rebanho, é preciso que eu as conduza. E elas ouvirão a minha voz. E haverá um só rebanho e um só pastor". Eis um grande desafio para cada um de nós, acostumados que estamos a “qualificar” as ovelhas que merecem ou não fazer parte do redil de Jesus!!

Esse apelo de unidade de Cristo nos pede um zelo apostólico para cativar outras ovelhas que ainda não descobriram o amor apaixonado do Bom Pastor. E pede também um espírito de unidade: que vença as barreiras que nos separam. Ele não quer uma Igreja dividida em rebanhos separados.

Se de um lado é um convite ao ecumenismo, numa instância menor é um convite a olharmos para dentro da nossa própria paróquia para perceber se não somos vários rebanhos... Neste último domingo fizemos a experiência de participarmos da festa do padroeiro da nossa comunidade Bom Pastor. Uma comunidade da nossa Paróquia, e muitos não a conheciam... O Papa tem nos pedido para ir às periferias... Comecemos pelas periferias do nosso próprio bairro, da nossa Paróquia, e perceberemos quanta vida há ao nosso redor que precisa ser cuidada por pastores ao modelo de Jesus.

O Pastor por excelência é CRISTO. Pastores são também o Papa, os Bispos, os padres. São as pessoas que prestam um serviço na família, na sociedade, no ambiente de trabalho. São as pessoas que receberam de Deus e da Igreja a missão de presidir e animar em nossas comunidades cristãs, apesar das suas limitações. Cada um deve ser "Pastor" de seu irmão, mas nossa missão somente será válida se recebida de Cristo, o "único Pastor", a quem devemos escutar e seguir sem condições. Por isso, nossa atuação nunca pode ser diferente do jeito de atuar de Cristo: Ele não atua por interesse pessoal como o mercenário, mas por amor,

Para distinguir a "voz" do "Bom Pastor" (ou reconhecer os falsos pastores) é preciso um permanente diálogo íntimo com Cristo, um confronto permanente com a sua Palavra e a participação ativa nos sacramentos, onde Ele nos comunica essa vida, que o Pastor nos oferece.

Roguemos para que Jesus envie vocações para sua Igreja, pastores que cuidem com amor do seu povo!

PARA REFLETIR: O evangelho de hoje ajuda a enxergarmo-nos como ovelhas de Jesus – o Bom Pastor e a compreender nossa missão de pastores do Seu rebanho. De que forma ele nos conduz a crescer em ambos os sentidos, como ovelhas e como pastores?