Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal
CRISTÃO MISSIONÁRIO, PARTILHA A TUA FÉ! (Tg 2,14-17)

Caros irmãos e irmãs, a quem Cristo chamou a serem missionários,

O tema do mês missionário deste ano: “Brasil missionário, partilha a tua fé” pretende nos recordar que a tarefa missionária continua urgente e sem fronteiras. A ação do Evangelho deve tornar-se ação em favor do próximo, justiça para com os mais pobres, possibilidade de instrução nos locais mais distantes, assistência médica e sanitária em lugares remotos, apoio ao desenvolvimento dos povos, garantia de dignidade de vida em todas as suas fases.

Ao estendermos nossa visão além da nossa comunidade local, além das nossas fronteiras regionais ou mesmo nacionais, nos deparamos com gritos urgentes de socorro, aos quais, como cristãos, não podemos fechar nossos olhos e ouvidos:

1- A África atual pode ser comparada àquele homem que descia de Jerusalém para Jericó; ele cai nas mãos dos salteadores que, depois de o despojarem e encherem de pancadas, o abandonam e o deixam meio morto (cf. Lc 10,30-37). A África é um continente onde inumeráveis seres humanos jazem, de algum modo, prostrados à margem da estrada, doentes, feridos, indefesos, marginalizados e abandonados. Têm extrema necessidade de bons Samaritanos que venham em sua ajuda.

2- A América é um continente onde o nome Jesus, o único nome dado aos homens para se salvarem (cf At 4,12) é desconhecido por uma larga parte da sociedade. O modelo de desenvolvimento imposto pelos governantes não respeita as pessoas, visa unicamente o lucro do capital e produz multidões de excluídos.
3- A Oceania, que compreende a Austrália, a Nova Zelândia e cerca de 10 mil ilhas perdidas numa enorme extensão, é desafiada pela dificuldade da comunicação em todo o continente e sofre pela poluição das águas, o saque irresponsável dos recursos naturais, o desmatamento, a exploração das multinacionais e por ser campo de experiências nucleares.

4- A Europa, que já foi um celeiro de vocações missionárias, hoje, em várias partes, tem necessidade do primeiro anúncio do Evangelho. Aumenta o número das pessoas não batizadas, seja pela presença de outras religiões, pelo jugo comunista ou pela indiferença religiosa. Também novos problemas aparecem: o fluxo migratório, a convivência com tradições religiosas diferentes, tráfico de pessoas, trabalho escravo, violência racial.

5- A Ásia é a parte do mundo onde aparece mais acentuada a questão do encontro do cristianismo com as antigas culturas e religiões locais. É um mistério o motivo pelo qual o Salvador do mundo, nascido na Ásia, tenha permanecido até agora largamente desconhecido para a sua população. Seu povo sofre com o trabalho escravo, com as violências entre grupos políticos extremistas e ataques às igrejas. Também há grande disparidade entre países de economia forte e regiões pobres, onde mais da metade da população vive com menos de um dólar por dia.

A FÉ E AS OBRAS

Diante de tantos desafios, o anseio de anunciar Cristo impele-nos a ler a história para nela vislumbrarmos os reais problemas, necessidades, aspirações e esperanças da humanidade, que Cristo deve sanar e purificar através da colaboração das nossas mãos.

A humanidade tem fome e sede de Deus e deve ser convidada e guiada para o pão da vida e a água viva. Mas a humanidade tem também a fome e a sede do corpo, a dor, a carência, a desilusão, a perseguição, a violência, a discriminação... E isso também precisa ser cuidado à luz do próprio Cristo que era socorro, cura e cuidado com cada um que encontrava em seu caminho.

É nosso dever apoiar as iniciativas que possam melhorar as situações de vida em comunidades afastadas, que possam oferecer recursos materiais e espirituais para o desenvolvimento dos povos, no socorro às vítimas das calamidades naturais e da miséria, nas campanhas e coletas realizadas pela Igreja, ou em outras tantas formas de auxílio aos nossos irmãos mais fragilizados da sorte.
Olhando para a seca do Nordeste: Neste mês missionário vamos mobilizar as nossas células e toda a comunidade para a construção de cisternas para o armazenamento de águas no período das chuvas no semi-árido do Nordeste. 

PARA REFLETIR:

1- Como toca em seu coração a consciência de tantas necessidades que o povo de Deus apresenta em suas diversas realidades?
2-O que Cristo pede de nós diante disso?
3-Quais são as ações concretas que nós e nossa célula poderíamos realizar em favor de alguma dessas situações? 

Voltar