Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

A VINHA E OS DOIS FILHOS (Mt 21,28-32)

INTRODUÇÃO
Ao encerrarmos o mês da Bíblia e após termos meditado por semanas com o livro do Êxodo sobre a caminhada do povo de Deus, nas suas dores, dúvidas, vitórias e revelações, vamos aprofundar nesta semana o tema da “resposta” que damos ao chamado do Senhor para entrar no seu Reino (trabalhar na sua vinha), na sua lógica, no seu modo de escutar e viver a Palavra.

A Parábola tinha endereço certo: os dois filhos representam dois grupos do tempo de Jesus: Os "pecadores inveterados" e os "justos estabelecidos".
- Os judeus eram os "justos estabelecidos", fiéis praticantes da Lei, que há séculos tinham dito o seu SIM a Deus pela Aliança e agora rejeitavam o Cristo, enviado de Deus, e ficavam fora do Reino...
O modo como viviam o seu "Sim" à Lei os levou a dizer "Não" ao Evangelho.- Os "pecadores inveterados" eram os cobradores de impostos e as prostitutas, que por muito tempo disseram NÃO à vontade de Deus expressa na lei, mas agora acabavam dizendo "SIM" ao apelo de Jesus e entravam no Reino, seguindo a sua proposta.
É interessante notar que essa parábola só foi narrada por Mateus, um cobrador de impostos, antes considerado um pecador público e agora um discípulo ardoroso de Cristo.

1. O que a PARÁBOLA nos diz HOJE?

Também em nossos dias, Deus continua tendo dois filhos:
- Alguns, no Batismo, dizem "Sim", mas depois, na vida concreta, transformam o "Sim" em muitos "Não". Até dizem “SIM” no templo, mas nas casas, na família, nos negócios, no relacionamento com os irmãos de caminhada desmentem tudo. A Vida inteira deve ser um "Sim" permanente ao Senhor.
- Outros nunca disseram um "Sim" explícito para Deus, mas, na prática de cada dia, amam o irmão, se sacrificam pelos outros, executam muitas obras de caridade.   Estes, ainda que não batizados, são verdadeiros Filhos de Deus... "Nisto conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros como eu vos amei...".  "É melhor ser cristão sem dizê-lo, do que dizer sem sê-lo".
Hoje, muitos que se dizem católicos, afirmam: Cristo SIM, Igreja NÃO. Ir à missa “SIM” evangelizar e falar de Jesus aos irmãos “NÃO”.
Como igreja somos povo eleito, organizado e unido na comunhão da caridade sob a animação pastoral dos apóstolos e dos sucessores. Não é possível ser CRISTÃO, prescindindo da IGREJA.

2. A VINHA: CONVITE A UM NOVO ÊXODO

Hoje Jesus vem nos dizer que não seremos salvos pelo tempo de igreja, pela função que exercemos na comunidade ou pelo que sabemos sobre a Bíblia. O que nos salva é o nosso “SIM” incondicional ao Senhor, é a nossa entrega a Ele com um estilo de vida de aceitação de Jesus como o Senhor da nossa existência, capaz de mudar em nós aquilo que jamais conseguiríamos mudar sem o auxílio Dele.
Há uma mudança a ser feita, um “ÊXODO”, uma libertação (conversão) que precisa acontecer todos os dias em cada um de nós e em toda a igreja. O Senhor nos ajude a edificar a casa sobre a rocha da sua Palavra. Ele nos garante:
"Felizes os que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática...". QUE AO “SIM” DA PALAVRA CORRESPONDA O “SIM” DA VIDA.

3. CONCLUSÃO:
Todos são chamados a trabalhar na vinha do Pai.
Ninguém está dispensado de colaborar com Deus na construção de um mundo mais humano, mais justo, mais verdadeiro, mais fraterno.
A vinha do Senhor nos espera. Todo cristão deveria pensar:  É um privilégio, uma honra trabalhar na vinha e pela vinha do Senhor.

PARA RELFETIR:
1. A que grupo pertencemos? A que filho nos assemelhamos?
 Ao primeiro ou ao segundo? Ou um pouco de cada?  Ou seria melhor que fôssemos como o terceiro filho, do qual a parábola não fala: aquele que diz "Sim" e vai mesmo!

2.Qual é a nossa resposta à Palavra de Deus?
 Aceitamos toda a Bíblia, sem preconceitos e sem interesses? Também os pontos que nos questionam e nos comprometem? Ou, isso Sim, isso Não!?   Batismo sim, confissão não, primeira comunhão SIM, crisma e casamento, FORMAÇÃO, compromisso, serviços... NÂO?

Voltar