Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

A VERDADE (Colossenses 3, 9-10 )

Irmãos e irmãs, muitas vezes já escutamos a palavra de Deus que nos diz: “A verdade vos libertará”. (Jo 8,32). Mesmo assim nos sentimos envolvidos num mundo de muitas mentiras e também somos tentados a cair na falsidade, a mostrar aos outros o que não somos e a falar sem conhecimento.

Mentir significa enganar alguém, é a distorção da verdade. É apresentar uma falsa imagem de nós mesmos ou de qualquer coisa, com o objetivo de tornar verdadeiro o que é falso.

O Livro de Atos dos Apóstolos 5,2-4; 8-9 nos apresenta um caso de mentira na Igreja. Ananias e sua esposa Safira combinaram em enganar a Igreja e o resultado foi a morte de ambos. A história parece um pouco estranha e exagerada, mas o fato é que o Espírito Santo aplicou a pena de morte física ao casal, porque Deus é verdadeiro, Nele não há engano e falsidade. A mentira e o engano, mostra o texto bíblico, não seriam tolerados dentro da comunidade cristã, porque mentir a um irmão é o mesmo que mentir ao Espírito Santo que nele habita e a mentira entristece o Espírito da verdade.

Veja alguns casos comuns de mentira que podem fazer parte da nossa vida e do relacionamento com os irmãos da célula:   

Como podemos viver este mandamento?
1 – Nós, cristãos, devemos ser sinceros e abertos em todos os nossos contatos sociais, especialmente na célula, que é um grupo de irmãos;

2 – Para que uma célula seja realmente boa é necessário que o líder e os membros sejam confiáveis. Qualquer forma de mentira e engano coloca em xeque a unidade e o crescimento do grupo;

3 – Nós, cristãos, somos observados por todos e devemos dar um bom testemunho para todos. A mentira destrói ou nos leva a um falso testemunho (parece que é, mas não é).

Irmãos na fé!
É porque precisam ser preservados o mútuo amor, a sinceridade e a fidelidade do Corpo de Cristo, que recebemos a ordem de não mentirmos uns aos outros. Uma só mentira pode lançar as sementes da dúvida e do ceticismo entre os membros. Para que a convivência funcione bem em amor, é preciso que todos sejam sinceros e verdadeiros. A vida do Corpo e o seu testemunho de Cristo dependem, em grande parte, da nossa obediência a este mandamento.

Desde criança aprendemos dos pais que não devemos mentir, na catequese escutamos que  mentir é pecado, que Deus não gosta. Mas quem já não contou alguma mentirinha ou mentirona?

As células de evangelização tem uma proposta muito audaciosa: trabalhar para que entre as pessoas que professam a mesma fé haja a maior transparência possível e todos se deixem conhecer por aquilo que são para tornar-se aquilo que agrada a Deus.

A verdade revela quem eu sou e me permite ser aquilo que Deus quer que eu seja.

É como um doente que vai ao médico: se ele fala a verdade terá grandes chances de ser curado. Se ele mentir e não disser o que está sentindo e nem aceitar que precisa mudar seus hábitos alimentares, por exemplo, então continuará na mentira, doente e vai dificultar o trabalho do médico. Assim Deus espera que sejamos verdadeiros diante Dele e diante dos irmãos.

A fé que salva e cura parte de um coração que busca a Deus com sinceridade.

PARA REFLETIR:

1.  Você já partilhou com sinceridade a sua vida com algum irmão de caminhada?
2.  O que ainda falta melhorar no relacionamento dos membros para que cada um se torne mais autêntico e transparente com os outros?
3. Você está disposto a dar mais um passo na sua vida cristã preparando-se para a liderança? Não minta.

 

Voltar