Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

COMPLETAR A OBRA DO SENHOR, CRESCER NO AMOR (Fl 1, 6-11)

1. Tenho a certeza de que aquele que começou em vós uma boa obra há de levá-la à perfeição até o dia de Cristo (Filipenses 1,6)

Neste versículo é evidente a convicção do apóstolo Paulo acerca do término da obra que Deus começou na vida dos Filipenses. Ao lermos este versículo isolado do seu contexto, somos conduzidos a crer nele como promessa para todas as pessoas. Mas em muitas pessoas a obra não termina, não evolui, porque o pecado e as inclinações humanas vão sufocando o poder de Deus e impedindo que a obra Dele continue ao longo da nossa caminhada.

A Bíblia mostra a importância da fé para realização da obra de Deus e o poder de Deus agindo a nosso favor em todas as áreas. Mas esta boa obra ainda não está terminada.
A palavra de Deus é sempre uma proposta de um ideal que devemos perseguir incansavelmente, porque a vida real ensina que o caminho se faz ao longo da vida inteira e em todos os tempos Deus tem propósitos para o nosso crescimento.

PARA REFLETIR
Quais são as obras que Deus realizou em você e com você ao longo deste ano? Louve a agradeça ao Senhor, e não temas depositar Nele a sua confiança.

Quais são as obras que precisam ser continuadas ou começadas em sua vida?

2. Paulo continua pedindo a Deus pela comunidade: “que o vosso amor cresça sempre mais, em todo conhecimento e experiência, para discernirdes o que é o melhor. (Fl 1,9-10).
Paulo fala de um amor que deve crescer sempre mais. Isso dá a entender que é um amor que já cresceu, mas que ainda pode melhorar. Deus já começou a obra e a construção está em andamento. Reconhecemos a soberania de Deus em realizar obras em nossas vidas.

É importante reconhecer o obra de Deus em sua vida. Preparar-se para o Natal é crescer no amor, no perdão e na paz com todos. Esse crescimento acontece pelo conhecimento da palavra de Deus e pela experiência da vida e seus resultados. Não vale a pena desperdiçar a vida em questões que desgastam e fazem sofrer inutilmente. Paulo exorta o seu povo a discernir o que é o melhor. Não basta decidir pelo que nos convém, e orientar-nos pela lógica da “loja de conveniência”, pois o que nos convém nem sempre é o melhor, à medida que o nosso discernimento deve levar em conta os que estão ao nosso redor, as pessoas com as quais nos relacionamos e com as quais vamos escrevemos as páginas da nossa vida, as conseqüências das nossas decisões e as implicações em relação ao futuro.

PARA REFLETIR
Neste ano que passou houve crescimento no amor em sua vida, família, trabalho, fé?
Peça ao Senhor o dom do discernimento para escolher o que for melhor segundo a vontade Dele e que o seu testemunho seja percebido pelos outros.

Voltar