Estudo Semanal
Home - Evangelização em Células - Estudo Semanal

A boca fala daquilo de que o coração está cheio. (Lc 6, 43-45)

A palavra de Deus inúmeras vezes nos adverte sobre o risco que há nas palavras que saem da nossa boca. Mateus nos narra Jesus respondendo com uma palavra forte aos escribas e fariseus, quando questionado sobre o fato dos seus discípulos comerem sem lavar as mãos: “O que torna alguém impuro não é o que entra pela boca, mas o que sai da boca, isso é que o torna impuro”. (Mt 15,11)

Isto foi dito para que ficasse claro que Deus não se preocupava com os ritualismos, mas estava preocupado com aquilo que, de fato, acontecia em nosso coração. Não adianta guardar uma série de preceitos, respeitar a lei pela lei, se o coração não andar no mesmo passo daquilo que o corpo está tentando passar como imagem.

E o que isto quer dizer para nós hoje? Isto nos serve como uma advertência sobre o que nós temos deixado sair de nós: as nossas palavras, os nossos gestos, a nossa forma de nos expressar, tanto pessoalmente quanto nas redes sociais, as coisas que divulgamos sem critério de julgamento.

1. O desafio de uma comunicação edificante:
Espalham-se pela internet correntes que, iniciadas por belas orações, ao final nos propõem divulgá-las, sob o risco de receber uma maldição caso não o façamos. Outras nos dizem para aguardar 24h para que uma graça inesperada venha, fruto da nossa disposição em simplesmente repassar o e-mail. Que Deus seria este que ficaria esperando um “enter”, um “enviar”,  para manifestar seu cuidado por nós e por nossas causas?...

A nossa caminhada cristã não tem outra fórmula de ser senão o seguimento do nosso Mestre Jesus. Imitá-lo é o que nos faz caminhar rumo à santidade, mesmo  diante de tantas imperfeições e fraquezas nossas. O desafio não é pequeno:  Jesus veio trazer a salvação, mas a caminhada de santidade cabe a cada um de nós trilhar... Conforme vamos educando o nosso coração, como a própria oração nos ensina “Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração

semelhante ao vosso”,
vamos destruindo o nosso velho homem e construindo uma nova pessoa, renovada pelo Espírito Santo que faz novas todas as coisas. É preciso que haja coerência entre o que buscamos e o que demonstramos, ou seja, se buscamos autênticamente a vida de santidade, ainda que tropecemos no caminho tantas vezes, precisamos eliminar de nós as coisas que impedem que essa santidade aconteça, tanto na questão dos sentimentos ruins que ainda habitam o nosso coração (ira, inveja, preguiça, falta de perdão e daí por diante...) como também as coisas que revelamos ao mundo a partir de nós (nossas palavras, nossos gestos, as histórias que contamos, as piadas de mau gosto, ofensivas, imorais que multiplicamos, os sites, músicas e vídeos que divulgamos, os e-mails inúteis que enviamos a quem não os solicitou...).

2. Em busca da santidade: Sabemos que na igreja não temos um povo que já se santificou, mas um povo que está  buscando esta santidade, no conhecimento de Jesus, no crescimento em comum, na partilha das experiências pessoais. Estar a caminho é dar a cada dia o seu passo, não se deixar estacionar nos costumes do passado, nos vícios antigos, nos erros que devem ser superados. Precisamos sentir que o nosso coração encontrou em Jesus o verdadeiro tesouro e operar para que a nossa palavra fale deste tesouro e não contra ele.

Pois bem, como povo a caminho, é hora de lutar contra o inimigo que tem se utilizado de nós disseminando coisas em nosso meio que nos afastam de Deus. Se você tem criado ou encaminhado e-mails que divulgam a pornografia, fotos inconvenientes e piadas de pouca graça e muita desgraça, pergunte-se de quem você tem sido instrumento, a quem você tem servido. Usando um pouco a imaginação, será que você colocaria o e-mail de Jesus junto com todos os outros e-mails para os quais você dispara suas comunicações?

Desculpamo-nos, por vezes, dizendo que isso é normal, que é só brincadeira, só para distrair... Mas Paulo nos alerta que mesmo podendo tudo, nem tudo nos convém, porque nem tudo edifica (cf. I Cor 10,23) e, muito pelo contrário, muito desconstrói em nós e nos outros a imagem e semelhança de Deus com a qual fomos criados.
Como cristãos em busca de santidade vamos fazer um pacto?

3. Um novo pacto: Vamos usar o tempo, os recursos, os meios de comunicação, a voz, a criatividade, e tudo o que o Deus da vida nos oferece para a edificação de relacionamentos saudáveis e para o nosso crescimento espiritual.

Para refletir:
1- As coisas que saem da sua boca tem testemunhado que você é um seguidor de Jesus?
2- A internet tem sido construtiva para sua espiritualidade ou tem destruído os seus valores e seu relacionamento com Deus?  Como lidar com e-mails inconvenientes?
3- Como célula, como podemos melhorar nossas atitudes?

Voltar